segunda-feira, 5 de março de 2018



Curiosidade sobre o filme Educação (2009)

O cinema é repleto de casos de brilharecos, pessoas que se destacam em determinado filme e logo em seguida desaparecem. Escolhas erradas, afastamento voluntário, incapacidade mesmo…

os motivos são diversos e, é claro, variam de caso a caso. O maior mérito de Educação, indicado a três Oscar incluindo o de melhor filme, é apresentar uma estrela em potencial: Carey Mulligan.

Não no sentido de astro, de arrastar multidões para o cinema, mas no conceito do que é verdadeiramente atuar.

Curioso é notar que Mulligan estava por aí, rondando em papéis menores, já há cinco anos. Ela era uma das irmãs Bennett de Orgulho e Preconceito e está também no elenco de apoio de Inimigos Públicos.

Sempre sem se destacar. Faltava um papel que lhe desse a oportunidade de exibir sua naturalidade, seu talento. Este é Jenny Carey. Uma adolescente de 16 anos (Mulligan tem 24) que anseia por deixar as garras da família, em especial as sufocantes de seu pai (Alfred Molina, exagerando na mesquinharia).

Jenny sonha em conhecer o mundo, adora lançar frases soltas em francês, é madura para sua idade e estuda, muito, para alcançar seu objetivo: entrar para Oxford. Até que David (Peter Sarsgaard) surge em sua vida.

Em vários filmes, atores passam por determinadas mudanças e as vezes essas mudanças podem demorar a voltar ao normal, no sentido da aparência.

De acordo com o DailyMail, a atriz Carey Mulligan travou uma dura batalha contra a perda de seus cabelos, danificados após as constantes agressões em prol de seus personagens no cinema.

A atriz, que tinha 25 anos na época, já foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz pelo filme Educação, ela tomou suplementos para estimular o crescimento de suas madeixas. Seu cabelo era longo antes de interpretar uma prostituta no filme Inimigos Públicos (2009) ao lado de Johnny Depp. Em 2010, ela adotou um corte mais curto para o filme Wall Street:

O Dinheiro Nunca Dorme. “Ela faria qualquer coisa para ter os cabelos longos e naturais novamente, mas ela não pode fazê-los crescer”, disse um amigo à publicação.

“Ela foi orientada a tomar pílulas por seis meses. Enquanto seu cabelo cresce devagar, mas seguramente, mas está tomando muito tempo e ela não sabe se vai recuperar sua confiança de volta até que fique feliz com ele”, acrescentou o amigo.

O caso repercutiu pelas redes sociais na época. Mais é claro atualmente ela conseguiu ter os cabelos do tamanho que ela queria. “Mais não foi fácil” disse ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário